”EASY CHIC” – Texto que escrevi para a revista Via S&T Deluxe

Enfim saiu a matéria que eu escrevi para a revista Via S&T Deluxe, sobre alguns dos novos nomes e rumos da moda e do design de mobiliário.  Como eu não quero que ninguém aqui desenvolva uma catarata, tentando ler as letrinhas miudinhas das imagens   das páginas. Resolvi colocar aqui o texto na íntegra para quem se interessar a ler, tá…hehehe
Espero que curtam!🙂

524975_4475061948662_180304516_n

224879_4475061628654_698977544_n

TEXTO NA ÍNTEGRA:

EASY CHIC

Nada de mais! Enquanto a vida e os dias nos pedem cada vez mais, o design pega leve e se rende à irresistível busca pela simplicidade para deixar tudo mais fácil e atemporal.

Depois de tantos anos observando a criação e a recriação de cores, formas e texturas, é surpreendente ver como alguns dos novos nomes de peso do design apostam na simplicidade das linhas retas e puras. Essa simplicidade redefine as formas que os designers expressam suas ideias adicionando uma objetividade poética e nada boring, provando que hoje em dia luxo mesmo é mergulhar sem limites na simplicidade.

Dentre os nomes que figuram nesta lista dos que aderiram a máxima quase filosófica do “menos é mais” está a maison francesa Dior. Label das mais clássicas e reconhecida por suas peças ultraluxuosas, a marca surpreendeu todos ao escolher um dos grandes novos mestres da moda minimalista, o estilista Raf Simons, para assumir a cadeira de diretor criativo da Dior depois de anos sob a exuberância escandalosa das criações do – igualmente escandaloso e polêmico – estilista John Galliano. Surpresa essa, que se tornou ainda maior à medida que as modelos – diferentes das costumeiras “Drama Queens” que desfilavam as opulentas criações de Galliano – cruzavam a passarela com peças de uma alfaiataria cirúrgica, cores calmas e volumes possíveis. Para completar, a simplicidade das modelos encantou os jornalistas e críticos de moda presentes, que posteriormente, rasgaram-se tecendo elogios às várias releituras contemporâneas e até futuristas que Simons lançou sob o legado de estilo da marca.

Em terras tupiniquins um dos nomes que mantem-se em destaque dentro da tribo dos que optam pela fórmula das cores neutras + linhas puras é o jovem e promissor estilista Pedro Lourenço. Um menino nascido em berço esplendido, que aprendeu desde criancinha durante os longos anos que passou em ateliês com seus pais – os estilistas Reinaldo Lourenço e Glória Coelho – a usar formas aparentemente “objetivas demais” para alcançar resultados que hipnotizam e apaixonam as mais severas e exigentes plateias do fashion world, durante seus desfiles em semanas internacionais de moda.

Optar por uma linguagem mais clara para criar peças é uma forma de traduzir genuinamente expressões contemporâneas e também de atingir o patamar da atemporalidade. Também tem despontado no cenário do design para mobiliários a super cool cadeira Louis Ghost. A peça é uma das mais desejadas da decoração contemporânea e um dos seus principais representantes é o irreverente designer francês Philippe Starck. A cadeira é uma divertida releitura de um dos maiores clássicos da decoração – a poltrona Luís XV – e fruto de uma parceria super bem sucedida entre Starck e a marca italiana Kartell. Sozinha ela consegue se adaptar aos mais diferentes estilos de décor, sendo considerada pelos entendidos do assunto como um item coringa que se adapta com perfeição a qualquer boa proposta de decoração.

Essa adaptabilidade também tem sido perseguida por alguns dos representantes do novo design moveleiro nacional. O design agora foge das alegorias e de um ufanismo quase folclórico, para criar peças de formas sinuosas, pontuais e de uma pluralidade inteligente. Dentre uma safra crescente de criadores que optam por essa linguagem clean na hora de criar verdadeiros itens de desejo, destacam-se nomes como o do jovem designer Jader Almeida e do arquiteto e designer Arthur Casas. Sendo os dois donos de traços pontuais, certeiros e simplesmente sedutores.

Sobre Delan Salazar

Nenhuma vida é tão insignificante a ponto de não merecer o mínimo de atenção e um espaço no interesse de outros. Portanto, escrevo para falar da minha vida, da vida dos outros e das coisas que eu gosto, acredito e...detesto também.
Esta entrada foi publicada em Portifólio com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s