Sobre Jay Z, genialidade e generosidade cultural

Muito já foi dito sobre o lançamento de Magna Carta Holy Grail do quão genial Jay Z se mostrou nos arranjos, dos convidados para as parcerias e até da arte da capa. Mas, definitivamente, eu preciso falar sobre o quão incrivelmente genial Mr. Carter se mostrou ao usar das suas letras e da sua influencia na cultura pop de hoje, para democratizar o acesso a informação a arte, a informação e cultura de moda não só meramente comercial e na inteligência de explorar assuntos muito mais amplos do que a pauta recorrente do rap: o gueto, preconceito, vida loucagem, discriminação e a ostentação de um estilo de vida regado a champagne, carrões e jóias caríssimas.

Em faixas como ‘‘Picasso Baby”, Jay Z é generoso ao ponto de usar do seu alcance para aproximar do seu público nomes que redefiniram os padrões aplicados na arte moderna como Jeff Koons, Andy Warhol, Mark Rothko, Jean-Michel Basquiat (SAMO), assim como os grandes Leonardo Da Vinci e o próprio Pablo Picasso. E é através das suas rimas que mixam questões corriqueiras e, de certa forma, dramáticas do cotidiano de grande parte daqueles que ouvem o seu som, com temáticas artísticas que esse visionário empreendedor do ramo musical costura idéias e traduz para a indústria pop as excelentes contribuições de outras mentes criativas. Mentes, idéias e propostas que um jovem morador de um subúrbio americano ou de qualquer outro lugar do mundo – já que vivemos em mundo globalizado – poderia passar a sua vida inteira ser sequer saber quem são, mas que por meio dos versos das músicas do cara, puderam ter acesso a uma nova forma de ver e fazer algo. Incrível! Incrível como a atitude de levar o rap para o MoMa, associando as batidas e letra de Picasso Baby com performances com artistas como a celebre performer Marina Abramović.

Avançando ainda mais em discussões importantes, Jay se mostra um passo a frente em questões ligadas ao preconceito da relação do universo masculino com o mundo fashion, oferecendo cultura de moda através de uma abordagem muito particular em canções incríveis cheias de menções a fashion designes como Alexander Wang, Riccardo Tisci (diretor criativo da Givenchy) e a super atual e cheia de marra Tom Ford, que, inclusive, fez o nome do estilista texano disparar em buscas no Google.

Bravo! Bravíssimo! 

Sobre Delan Salazar

Nenhuma vida é tão insignificante a ponto de não merecer o mínimo de atenção e um espaço no interesse de outros. Portanto, escrevo para falar da minha vida, da vida dos outros e das coisas que eu gosto, acredito e...detesto também.
Esta entrada foi publicada em COOL HUNTING, MÚSICA, MODA, Pensamentos e Crônicas com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s